Portal   saude   musica   fotos   mulher   forum   turismo   videos   auto   imóveis   leilões   classificados  

Dieta emocional

Stress, desânimo e depressão são sensações que a deixam infeliz e que a fazem afogar-se em comida. O peso aumenta, as roupas apertam e, além das suas emoções estarem já desequilibradas, a perda de uma silhueta deixa-a frustrada. Comece uma dieta emocional!

Estudos referem que a comida, tal como o álcool ou as drogas, pode criar dependência e desencadear os mesmos processos cerebrais. Quem come compulsivamente tem um metabolismo superior na área do hipocampo (parte do cortéx cerebral), facto este que intervém na conduta emocional. “A ingestão excessiva de comida, especialmente de doces, está ligada às nossas emoções. Comemos de forma a obter um prazer imediato para compensar um mal-estar interior. Durante um curto espaço de tempo, os doces provocam satisfação, mas não fazem desaparecer os problemas”, esclarece a dietista Abigaíl Carreira Branco. Quer emagrecer, mas está com problema com as emoções? Antes do regime, identifique o que a incomoda.
Amigos das emoções

A dietista explica que os alimentos podem influenciar as nossas emoções, tal como os sentimentos influenciam as escolhas alimentares. “Tudo o que sentimos é resultado de impulsos nervosos transmitidos através de neurotransmissores. A seretonina é uma dessas substâncias que produzem uma sensação de bem-estar”, refere a especialista.
Os alimentos não contêm a seretonina no seu estado natural, mas através de um aminoácido chamado triptofano ” precursor da seretonina ” e com a actuação da vitamina B6, verifica-se a conversão do triptofano em seretonina. Este aminoácido existe nos alimentos ricos em proteínas, como carnes magras, peixes, ovos, laticíneos magros e leguminosas. A vitamina B6 pode ser encontrada na carne, peixe, ovos, cereais integrais.
Estudos mostram que alimentos ricos em hidratos de carbono são calmantes, devido à libertação de seretonina. Porém, podem elevar o nível de açúcar no sangue. Para controlar tais níveis deve evitar alimentos feitos com açúcar refinado, que, inclusive, são também bastante calóricos e engordam.
Atitudes como mudar hábitos alimentares e escolher melhor os produtos que consome não faz somente bem ao corpo. Segundo a Fundação da Saúde Mental, a forma como os alimentos são produzidos altera os nutrientes da alimentação. Esta mudança provoca depressão e problemas de memória. Neste caso, alterar a dieta mostra mais resultados do que drogas ou terapias.
Stress

Se o organismo é submetido a uma grande pressão durante algum tempo, o indivíduo pode ter insónias, irritabilidade ou agressividade. O trabalho excessivo ou a solidão podem provocar stress em pessoas de qualquer faixa etária.

Ansiedade

Este grande problema é caracterizado por momentos de bastante medo, perigo ou pode provocar tensão. A ansiedade faz parecer ao indivíduo que os minutos que passam para que ele atinja qualquer objectivo na sua vida sejam intermináveis.

Depressão

É um conjunto de alterações comportamentais, emocionais e de pensamento. A pessoa depressiva afasta-se da vida social, perde o interesse por várias actividades que realizava e há um sentimento de culpa, baixa auto-estima, etc.

Mude as suas emoções e as suas medidas

Não existem alimentos proibidos, pois quando o corpo recebe os nutrientes necessários, os órgãos fazem o seu trabalho da melhor forma e o corpo elimina aquilo que está a prejudicá-lo. Tire os alimentos comuns e adicione aqueles que causam bem-estar. Então, troque:

Uma mousse de chocolate (70g=220kcal)
por uma pêra cozida com calda de vinho (160g=115kcal)

Um pudim de leite condensado (60g=135kcal)
por uma salada da frutas (80g=86kcal)

Uma esparguete à bolonhesa (100g=240kcal)
por uma lasanha de frango (150g=205kcal)

Uma fatia de queijo amarelo (120kcal)
por uma fatia de fresco (40kcal)

Uma colher (sopa) de manteiga (234kcal)
por uma colher (sopa) de requeijão light (87kcal)

Mantenha o peso desejado

- Trabalhe menos e divirta-se mais.
- Queime calorias com RPM, Body Attack, Bodu Pump e Combat.
- Opte por pães e massas integrais e coma mais proteínas.
- Coma sopa, assim o seu apetite ficará saciado mais rapidamente.
- Evite as entradas e, no prato principal, tente dividir com alguém.
- Cozinhe os hidratos de carbono com legumes.
- Confeccione com azeite, em deterimento da manteiga.
- Prefira frutas, em vez de doces.

Fonte: SaudedaMulher

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*
*